Páginas

sexta-feira, 7 de abril de 2006

Almas intranquilas

Há dias em que sinto o apelo da partida mas há dias, ciclicamente presentes, em que apenas me apetece ficar em casa no aconchego do lar, à lareira, saltitando entre o sofá e o cadeirão, pululando entre livros e revistas, fazendo zapping entre um e outro canal televisivo e ficar assim tranquila com esta inquietude, com este desassossego de ser exactamente como sou, ficar assim peripatética neste vaivém entre poisos e lugares, este ínfimo viajar entre livros e folhetos de viagens, este viandar miudinho entre sons e imagens. As almas intranquilas encontram no mais pequeno bulício a placidez do seu espírito.

imagem: Marc Chagall, Le Quai de Bercy.

8 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. O comentário anterior era spam, por isso foi apagado.

    ResponderEliminar
  3. Também tenho muitos dias desses.
    E é tão bom quando podemos aproveitar esse tempo só para nós, para nos reconfortarmos...

    ResponderEliminar
  4. É bom mesmo, retemperador que é o que mais necessito. Bjs

    ResponderEliminar
  5. Eu já tinha era saudades tuas... já pensava que tinhas pegado num desses panfletos de viagens e ido passear uns dias! Eu também tenho dias desses eu que quero tudo e não quero nada!

    ResponderEliminar
  6. Quem me dera, querida Patrícia! Tenho andado por aqui mas sem grande inspiração. Beijocas grandes

    ResponderEliminar
  7. Tantos talentos, Papa. Faz um bordadinho se teu cansaço é intelectual!!!

    ResponderEliminar
  8. O sol voltou Gláucia, agora vai ficar melhor. Só sei fazer tricot, bordar muito pouco e nem faz muito o meu género :-)

    ResponderEliminar

Comments are welcome :-)