Páginas

terça-feira, 23 de maio de 2006

Rescaldo

Continuo a achar que há gente que não devia sair de casa e abandonar o anonimato. Pelo menos as figuras tristes que fazem e os disparates que dizem ficavam entre quatro paredes e o país com um cromo a menos, o que nem era mal pensado, tendo em conta a reprodução e multiplicação feroz dos mesmos. Digamos que a estirpe é outra mas a juntar a Adelino Ferreira Torres, Fátima Felgueiras, a Alberto João Jardim e quejandos, surgiu a douta presença de Manuel Maria Carrilho. Pelo que vi e ouvi do debate de ontem, o problema reside no que foi filmado e não na atitude do dito em ter recusado cumprimentar o edil olissiponense. Manuel Maria Carrilho só mantém a compostura se souber que está a ser filmado, caso contrário pode tornar-se num casca grossa e revelar o grunho que há em si.

15 comentários:

  1. O MM Carrilho? Esse filosofo taaaoooo eminente...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Esse mesmo. Perdi toda a consideração por ele.

    ResponderEliminar
  4. Ah, tão querida, ainda tinhas alguma? Que desperdício.

    ResponderEliminar
  5. Digamos que já há algum tempo que tinha desaparecido, agora é mesmo desprezo.

    ResponderEliminar
  6. Concordo com o que diz do Carrilho. É injusto pôr o Alberto João Jardim a par de um qualquer Ferreira Torres ou de uma Felgueiras !

    ResponderEliminar
  7. Com o devido respeito, Milucha, acho inacreditável que o Alberto João Jardim use e abuse da sua grosseria e falta de respeito. Não discuto o que faz na Madeira.

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Lamento, Joana, que o meu comentário relativamente ao comportamento público de Alberto João Jardim tenha sido interpretado muito além das simples palavras que aqui deixei e que estas tenham sido motivo para desabafar a revolta e ressentimento que aparentemente sente relativamente ao continente e a nós continentais. Não constestei em momento algum a legitimidade de Alberto João Jardim, caso não tenha lido as minhas palavras atentamente, e o facto de ele ter sido eleito não faz dos seus eleitores algo mais do que apenas isso: eleitores. Se tem algum problema com o Continente, como manifesta ter, terá pois de o resolver noutro lugar, que não aqui e muito menos comigo. Não faço comparações entre a Madeira e o Continente, não me refiro a quem lá vive da forma como alguns de vós fazem relativamente a nós, chamando-nos de cubanos ou cubanada. Se acha que a Madeira tem melhor qualidade de vida que Lisboa não contesto. Tem direito à sua opinião, terá de certo factos a corroborar o que afirma, e tem sempre a possibilidade de não viver cá. Não me interessa sequer essa conversa de quem é melhor que quem e lamento muito informá-la mas continuarei a achar que o Alberto João Jardim é mal-educado e inconveniente, tal como muitos outros. Se me disser que outros políticos são igualmente grosseiros não me incomodará de forma alguma, não me sinto pessoalmente ofendida pela indelicadeza dos nossos políticos, mesmo que os tenha ajudado a eleger.

    ResponderEliminar
  12. Lamento que tenha apagado o seu comentário, Joana. As atitudes falam por si, não é preciso mais palavras.

    ResponderEliminar
  13. Apaguei os meus ultimos comentários pq pensei melhor.Não fique aborrecida com reacções madeirenses.

    ResponderEliminar
  14. Claro que não, Milucha, para mim as pessoas não são madeirenses ou nortenhas ou qualquer outra coisa e vocês estarão para sempre no meu coração.

    ResponderEliminar
  15. Q bom, querida N.! Ainda bem q assim pensa! Ando muito a navegar pelo seu blog. Gosto muito!
    Bjos

    ResponderEliminar

Comments are welcome :-)