Páginas

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Respeitinho

Nestas coisas de máquinas, maquinarias e aparelhos sinto-me um resto, a auto-estima completamente em baixo, o amor-próprio uma lástima e a reputação destruída. É que se há coisa de que uma mulher não gosta é de se sentir ignorada, nem por bichos, homens ou máquinas, e isto porque quando algo não funciona e depois de já ter dado voltas sem fim a avaliar o dito aparelho comatoso, decido-me pelo último dos últimos recursos, assim sendo, e esgotadas todas as hipóteses ao meu alcance, abro a goela e grito HÉLDER!!!!! O Hélder vem, regra geral, tranquilo, pergunta mas afinal o que é se passa? Longe vão os tempos em que à primeira contrariedade a voz me subia galopante. Agora aguento uns tempos, miro os bichos de alto a baixo, dou-lhes umas pancadinhas no lombo, umas afagadelas nas fichas, verifico botões e ligações, solto uns quantos insultos e depois HÉLDER!!!!!!!!!!! O Hélder vem e pergunta mas afinal o que é se passa? A impressora não funciona… volto costas, dou uma olhadela na televisão, petisco mais um fruto destes, e eis que em surdina começo a reconhecer os sons da dita impressora a arrancar pausadamente. Respeitinho é muito bonito mas cá em casa é só para alguns, ao que parece não estou incluída no lote.

7 comentários:

  1. LOL
    Lá em casa é a mesma coisa ;-)

    ResponderEliminar
  2. Deixa lá, estás incluída noutro lote! Muito mais giro! :)

    ResponderEliminar
  3. Que seria de nós sem os nossos "Hélderes"!
    ;oP

    ResponderEliminar
  4. *suspiro*
    EU sou o Hélder cá de casa...
    :P

    ResponderEliminar
  5. A sério? É que dá uma raiva cega as coisas recusarem-se a funcionar comigo e, de repente, parece que lhe sentem o cheiro, vá de começarem a funcionar afincadamante :-)

    ResponderEliminar

Comments are welcome :-)