Páginas

quarta-feira, 18 de março de 2009

A mulher e a badocha

A badocha, antes de ser a badocha, estava à minha frente, suando as estopinhas e arremessando-se com afinco nas máquinas redentoras que nos irão resgatar o corpinho perdido nas mãos de Cronos. Antes de ser a badocha era apenas mais uma de nós. De rosto redondo e olhos risonhos, escondia por baixo da t-shirt dois refegos volumosos, duas regueifas que lhe abraçavam o abdómen, duas bóias salva-vidas. Tinha encontrado a badocha uns dias atrás, airosa com as suas regueifas, feliz da vida porque a balança tinha sido amiga, e, não obstante as regueifas, tinha perdido uns gramas. Nessa altura ainda não era a badocha.
Na altura em que a badocha ainda não era a badocha cabriolávamos nas plataformas, entrecortadas com movimentos vigorosos nas máquinas e trocávamos palavras inofensivas, assim os pulos nos dessem descanso e o fôlego permitisse. Assim sendo, e tendo em conta o mês de Março adiantado e o Estio que se pôs sem aviso, a conversa caiu no tema preferido por uma parte substancial da população feminina que se dá ao luxo e sacrifício de embarcar em trabalhos vários em nome de uma vida saudável e, acima de tudo, sejamos honestos, uns centímetros a menos em torno de tudo o que se tem, excepto na inteligência que para o efeito do presente escrito pode ser medida também em centímetros.
E a conversa lá saltou. Terei dito na sequência do queixume colectivo dos centímetros a mais que a continuar como estou - vide fotografia do perfil – não podia vestir os meus biquínis, meus assim mesmo no plural, porque mulher que se preze não compraria menos de três -e estou a ser modesta- naquele dia de Verão em que o biquineiro nos visitou no hotel em Pipa e largou ali mesmo centenas de biquínis, ó meu deus, tantos, mas tantos e tão giros e tão baratos. A futura badocha respingou do alto das suas regueifas Poder, pode, o pior é a figura que faz... Foi aqui que as regueifas pareciam ter levedado e que a mulher sorridente a braços com as gordurinhas indesejadas se metamorfoseou em badocha, não sem antes levar uma resposta Há pior, embora sem a continuação que ecoava na minha cabeça Há pior, ó badocha.

18 comentários:

  1. LOOOL! Muito bom :o)
    (psst, eu só tenho 2 biquínis, estou a cometer uma grande gaffe feminina?? ;)

    ResponderEliminar
  2. Tirando o facto de ter de ir ao dicionário ver o que serão as tais regueifas, esta cena é tão comum que acho que estava lá a ouvir suando as estopinhas na máquina ao lado (não importa qual, uma qualquer ao lado).

    ResponderEliminar
  3. :-)

    Isso é porque nunca foste ao Brasil e não gostas muito de praia :-)

    Bem-vinda :-)
    As regueifas fazem parte da minha infância, são uma delícia torradas com manteiga.

    ResponderEliminar
  4. Com os homens é mais fácil. Cabem sempre no calção de banho do ano passado. Basta não apertar tanto o cordel. (risos)

    ResponderEliminar
  5. Aiiii nem me digas! Já nem falo dos bikinis (pssst também fui a Pipa!), o pior mesmo são as t-shirts que me dão pelo umbigo!

    ResponderEliminar
  6. Ó Mike, olhe que não tenho tanta certeza disso ;-)

    Ora, Elsita, mostras o umbigo ;-)

    ResponderEliminar
  7. Leonor, mas eu não quero mostrar o umbigo!

    ResponderEliminar
  8. Eh, eh, eh. Ainda bem que a badocha não sabe ler pensamentos.

    ResponderEliminar
  9. O não gostar muito de praia não quer dizer que não devesse ter um biquíni a dar com cada par de havaianas! Por falar nisso, tenho um biquíni verde e nada do chinelito verde... vou ali e já venho ;o)

    ResponderEliminar
  10. Realmente, Leonor, o mundo está repleto dessas badochas, cujo sentido na vida é amesquinhar-nos e diminuir-nos. Felizmente, a coisa bem investigada, há sempre por onde lhes retribuir, com juros. ;-D

    ResponderEliminar
  11. Nada a acrescentar :))

    Só um aparte: o tempo dos dos biquinis lindos de morrer e verdadeiramente baratos já lá vai... Ainda compensa, mas o preço já não se pode comparar, por exemplo, com os da primeira vez que por lá andei(há muitos anos que eu já sou idosa rsrs)

    Leonor: como escreve bem!

    :)))

    ResponderEliminar
  12. Esperemos que não, Carlota :-)

    Eu não posso ter um biquini para cada par de havaianas que tenho cá por casa :-) Verde???? Logo tu, um biquini verde?

    Para a semana corre melhor Elsita ;-)

    Ora bem, Luísa, a minha primeira retribuição é que não tenho regueifas, anca até demais mas em contrapartida não tenho aqueles estômagos enormes. Eh eh eh :-)

    Pois, acredito, mas mesmo assim dez euros cada biquini é muito baratinho comparativamente, Maria do Sol. Obrigada :-)

    ResponderEliminar
  13. Sim, ganhas-me à vontade em havaiana, tu ;o)
    É verdade, verde, a cor está na moda e eu até gosto... mas don't worry, que o outro é vermelho e branco!! :oP

    ResponderEliminar
  14. Ah bom :-)

    Tenho umas havaianas slim novinhas da última safra no Brasil

    ResponderEliminar
  15. E são lindas!!! Azuis e prateadas ;-)

    ResponderEliminar

Comments are welcome :-)