Páginas

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Duarte


Lindo, garboso e teimoso o meu mano gato brindou-nos com quinze anos de existência. Quinze anos de algumas sestas em comum, muita independência e uma beleza irresistível. Foi-se-nos sem que mais pudéssemos fazer. E com ele a casa mais vazia e o coração apertado.

13 comentários:

  1. O raio do bichano. Tinha alguma coisa que nos deixar assim? :'(

    ResponderEliminar
  2. :(
    (chegou a hora dele, não é Leonor?)

    ResponderEliminar
  3. É mesmo, Mike, quinze anos para uma gato equivalem a uns noventa dos nossos. E o malandro viveu como queria, cheio de liberdade e mimos, mas é claro que deixa saudade.

    ResponderEliminar
  4. Oh :( Valem os anos passados com ele.
    Beijo grande, L!

    ResponderEliminar
  5. O Duarte era um gato que parecia um leão, Leonor: cheio de dignidade. E continuará a ser feliz, certamente, lá no paraíso dos gatos. :-)

    ResponderEliminar
  6. Muito obrigada pelas vossas palavras. O meu manito era uma gato muito especial mas ficamos aliviados por saber que não sofreu. Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  7. Sinto muito :'( Também perdi a minha menina o ano passado e sei o que custa :(
    Bjs grandes

    ResponderEliminar
  8. Obrigada, SOliveira

    Oh, não sabia que tinhas ficado sem a tua, flor :(
    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. é verdade :( Dois meses após o nascimento do Diogo.
    É a vida, não é? :(

    ResponderEliminar

Comments are welcome :-)